Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Receitas fáceis, rápidas e saborosas!

Receitas fáceis rápidas e saborosas. Receitas de frango. Receitas rápidas. Receitas fáceis.

Receitas fáceis, rápidas e saborosas!

Receitas fáceis rápidas e saborosas. Receitas de frango. Receitas rápidas. Receitas fáceis.

1,2,3,4

Chega-se a casa do trabalho, jantamos. O comando, é previamente colocado ao lado do prato. Liga-se a televisão: noticias, normalmente o que se passa é algo entre a crise, os conflitos nos sitios do costume e o futebol, as mesmas da hora do almoço, muitas vezes as mesmas, do dia anterior. Sentamos-nos no sofá.

-Ai!  suspiro de descanso da guerreira.

Comando na mão. Canal 1 ...concurso. Canal 2 boooooring zzzz, canal 3, telenovela, normalmente com nomes do tipo: Chuva na pedra, Rosa do mar, Chove mas não molha. Costumam começar por ter logo 5 ou 6 actores conhecidos, alinhados, parece um artigo promocional de folheto, leva 6 e só paga 5... enfim! Carregamos no nº 4, temos que nos certificar que mudámos mesmo de canal, porque o contexto é muito semelhante. Filmes? nada! só começam lá para as quinhentas, quando 90% dos mortais já dorme profundamente. Os outros 10%, os corajosos, conseguem ver 10 minutos de filme, depois, começa a publicidade e dura  e dura dá tempo para ir ao wc, voltar, ir buscar bolachas, voltar, ir beber água, voltar e adivinhem? ainda está a dar anúncios! Mudamos de canal, não é que combinaram todos ao mesmo tempo? Passado 15 minutos, ja estamos de barriga cheia e nada de filme, aí sim os outros 10% de nós desistem, o melhor é mesmo ler um livro.

Ainda dizem que a televisão não incentiva à leitura.

Graças a televisão farto-me de ler. 

 

   

Crónicas da Ana

perfil do Google+ de Ana Pinheiro.

Bronzeada

Há muitos anos (cerca de dois) numa terra para lá do sol posto, nasceu uma bebé a quem deram o nome de Bronzeada. Pouco após o seu nascimento, sua mãe partira para parte incerta, para fazer parte, de um grupo experimental de uma vacina para a queda de cabelo.

Bronzeada ficou a viver com o pai e a madrasta, esta era muito má e invejosa.

A madrasta tinha um espelho mágico e todos os dias perguntava ao espelho:
-Espelho meu, espelho meu, existe alguém mais bela do que eu?...

E o espelho disse-lhe:

- Sim Bronzeada é muito mais bonita que tu, aliás ja que falas nisso... eu não sei como é que ainda não me parti só de olhar para ti.

A malvada madrasta, decidiu fazer evaporar a Bronzeada e para tal contratou um mágico, proveniente das Taipas. Acertaram o preço e o mágico partiu cheio de truques ao encontro de Bronzeada.

No jardim, Bronzeada falava com as flores e os coelhos e as borboletas, as joaninhas...

- Tadinha... pensou o mágico -Está bilulas da cabeça

Mas nisto...

-Tum tum tum tum (banda sonora tambores)

Um raio de sol, foca a pele dourada de Bronzeada e pousa nos seus olhos azuis cor do mar e o mágico fica extasiado com tanta beleza.

Tira da cartola uma lancheira e dá á Bronzeada contando-lhe tudo o que a madrasta lhe tinha pedido para fazer.

Bronzeada, de martini em punho, entra pelo palácio a dentro e diz :

-Leonilde onde estás? (Era o nome da madrasta)

Chegando ao pé dela, entrega-lhe a lancheira :

- Pega leva isto e tira umas férias aqui do palácio, vou fazer umas remodelações e devido a isso, vou ter de mandar abaixo os teus aposentos.

A madrasta preguntou se o que estava na lancheira era de origem biológica mas Bronzeada não ouviu e voltou para o jardim para retomar as suas actividades de falar sozinha.

perfil do Google+ de Ana Pinheiro.

Chama...chama umm não me cheira

 

  

Já roeste as unhas até à cabeça dos dedos, a tua mente está ocupada em desfazer um ninho de ratos que é a tua relação, divides-te entre olhar para o telemóvel e para o maço de tabaco. Não hesitas e de um pulo digitas o nº dele à espera de resposta...

Chama duas vezes e do outro lado desligam.

Tradução: Viu quem é, sabe que és tú e não te quer atender!

Não importa... agarras no maço de cigarros e acendes apressadamente um cigarro, voltas a ligar... chama, chama, chama...

Tradução: Bem podes ligar que eu não te vou atender.

O cigarro desaparece, como se tivesse sido sugado por um buraco negro.

Verificas se recebeste alguma mensagem... Mensagem tens uma nova mensagem!!! vê! vê!

Escrito no ecrã surge: Carregue o seu telemóvel até dia 22 de Julho....

Que vontade de fazer um lançamento de telemóvel aqui do 5º andar era lindo!

Volta a ligar... não chama! do outro lado a cassete: De momento o nº que está a tentar ligar não se encontra disponível...

Tradução: Não me voltes a ligar estou-me a ..... para ti.

Agarra o telefone como se de um salva vidas se trata-se procura pela Lena.

-Tou Lena? Vamos sair logo?

-O.k combinado... vens me buscar?...

-Sim as 22h!

-Beijo.

Mal desligas o telefone, o telefone toca que susto, quase que o deixas cair, toca  atendes logo á 1a

Tradução: Estás mesmo apanhadinha por ele.

Do outro lado o causador do ninho de ratos.

-Desculpa amor, mas estava a conduzir e não te podia atender.

Olha para ti, estás a desfazer-te em sorrisos. Acendes mais um cigarro e sussurras lérias de amor.

-Temos a noite toda meu gatinho...

O nevoeiro que te envolvia desfaz-se e agora até ouves passarinhos gagos a cantarem. 

A tradutora agarrou num saco de papel e dirige-se para a saida... parece que vai vomitar.

Não existe mais nada... só tu e ele... há e a tua amiga que vai ficar apeada... mas ela já deve estar habituada.

 

Crónicas da Ana.

perfil do Google+ de Ana Pinheiro.

Nem sei...

 

 

(Ficção)

Folheio a revista Gente...enquanto aguardo a minha vez no dentista.

Passo as páginas a velocidade média, não sou, grande apreciadora deste tipo de publicação, sei que satisfaz, a necessidade de curiosidade das pessoas, em relação à vida dos famosos. Hoje em dia, são muitos os que procuram ter fama, a fama abre portas para oportunidades de carreira, relações e festas de elite. No tempo em que eu era criança (há pouquinho tempo atrás) lembro-me que ter fama não era uma coisa boa...

 

-Olha para aquela, que ali vai... Tem cá, uma fama...

 

Os sinais de alarme ligavam, como que avisando... ser famoso é mau, tem cuidadinho.

 

-D. Catarina?

-Sim? respondo

-A senhora vai já a seguir a este senhor- diz a administrativa do dentista

 

Pois, vou já a seguir a esse senhor (penso)...que calor... começo a sentir 

S.V. D.D F (súbita vontade de dar de frosques)

Aqui estou eu a entregar-me a esta senhora que me espeta agulhas na boca 

e diz:

 

-Magoei-a um bocadinho não foi? Eu sei! Mas esta boca está uma desgraça!

Oh minha grande**** uma desgraça está o teu traseiro! Que mais parece a comemoração da união dos montes cantábricos!

-Ai! Grito

-Magoei outra vez? Diz a dentista.

 

Encolho os ombros, não posso falar... e estou desconfiada que os meus pensamentos ouvem-se...Talvez tenha de pensar mais baixinho... Por fim dou por mim a eclipsar-me mentalmente dali. Estou longe quase que contigo tocar nos pirilampos, uma leve brisa beija-me o rosto.

 

- Está prontinho, são 50€!

 

O pirilampo fala... Abro os olhos e vejo a dentista a levantar-se, tu não  es

um pirilampo... levanto-me também. Pago, e a dentista diz:

-Faltam mais 3 secções até o dente ficar pronto, vamos marcar com 

intervalos de 15 dias.

 

Aceno que sim com a cabeça, esta menina esta doida, se pensa que venho cá outra vez. Já me estou a a imaginar a increve-la no programa de pesos pesados anonimamente, uma certa alegria invade-me sórdidamente. Nada que ela não precisasse.

Além disso, estou desconfiada que ela me arranja um dente e me estraga outro, para que eu tenha de andar sempre aqui.

A administrativa sorri palidamente, eu também não. Desço as escadas do consultório pesadamente e penso se eu fosse famosa  iria aquelas clínicas que se vêem na televisão, onde uma linda moça sorridente está sentada na cadeira de um dentista e este lhe aplica uma luz azul, como por magia os dentes ficam branquíssimos e reparados, perfeito! Com este pensamento reparo que não estou a sorrir… estou a babar-me. (O.K. isto não aconteceu) Lenço. Óculos. Porta a fechar.

 

Crónicas da Ana

perfil do Google+ de Ana Pinheiro.

A bruxa dentista (ficção)

Há muitos, muitos anos existia uma bruxa, chamada Marlene. que tinha sido expulsa da ordem dos médicos por não querer aceitar os cheques dentista.

- Estou melhor assim! Pelo menos não tenho de ouvir gritarias, de cada vez que arranco um dente sem anestesia! Eles pensam o quê?...

E montada num aspirador, que estava a pagar em suaves prestações, desapareceu no céu em direcção a Melides. Ora Melides para quem não conhece é um descanso (zzzzzzzzzz). Não tem lojas, não tem divertimentos, não tem pessoas... Pronto O.k tem lá duas pessoas, olha... as duas estão de costas... parece que estão de partida... -Adeus!

Voltando à Marlene, de vingança decidiu construir uma casa toda de caramelo e chocolate e pensou: - Quem quiser vir aqui dar uma dentadinha...vai ficar aflito dos dentes e eu cá estarei hi,hi,hi.para ajudar. Neste momento uma pomba incontinente pousa-lhe na cabeça.

Os dias passaram, as semanas e nada ninguém aparecia para comer a casinha da bruxa. Desesperada e com fome, Marlene começa a comer a sua própria casa... é só um bocadinho da porta, pensou e da janela e do telhado...Ai, ai a minha barriga, comi a casa toda! Nesse instante, chega um autocarro de turistas da Islândia e um pára e pergunta-lhe:

Sabe se há por aqui alguma coisa que se coma? 

A bruxa gritou: -Porque eu?!!!

O turista retorquiu -Porque não está aqui mais ninguém? Dah?? 

      

Crónicas da Ana 

perfil do Google+ de Ana Pinheiro.

Ninguém

 

Para os adolescentes, os pais estão sempre desactualizados. Não percebem nada de jogos de consola. Da roupa que se usa e da música que ouvem. Para eles, os pais passam a vida a exigir explicações e a querer respostas. Respostas essas, que vindas de um adolescente, se resumem a: -Sim, não, e com um bocado de sorte... Nada.

Isto antes de começarem com a frase do: -Não me chateeis!

Existe pois um grande fosso na comunicação. No entanto, estes jovens passam horas na conversa, seja nas redes sociais ou ao telemóvel. Mas se lhes perguntarmos:

- Com quem é que estavas a falar? a resposta resume-se a uma palavra:- Ninguém.

Agem como os gatos,  não querem "festas" e pensam ser independentes. Em casa, quando não estão a jogar, tem os ouvidos tapados com os auriculares e com milhentos decibéis de barulho. Como fazer então para estabelecer contacto?... Mandar um SMS parece ser uma boa ideia. A máxima de que, se não os consegues vencer... junta-te a eles, também parece criar bons resultados. Não estou a dizer que ande com a foto do Justin Bieber na carteira, ou se vista de "Dread", apenas partilhe de algum tempo de qualidade com o seu "gato", tire meia hora por dia e faça com o seu filho uma coisa que ele goste mesmo de fazer. Agarre no comando da consola e tente ganhar o seu filho numa corrida de carros. Investigue sobre os assuntos que ele gosta, para poder ter conversas com ele sobre o tema. Peça que o ensine a mexer no computador. Negocie com o adolescente:

Podes fazer isto, mal termines os deveres da escola. Trate bem o seu descendente e nunca lhe diga:- Tu não sabes fazer nada! És burro. Se fizer isso, abre-se uma fenda abismal e a única coisa que você deve esperar é por afastamento, revolta. Estes miúdos são o futuro do mundo mas também são o seu. Nunca se esqueça disso.

 

Crónicas da Ana

perfil do Google+ de Ana Pinheiro.

Somos humanos ou somos dançarinos?

A música "Humans" ja me fez dançar! ja me fez cantar e nos dias de hoje, dá me que pensar. Liga-se o som e a música começa, se não prestar-mos muita atenção à letra tudo bem, mas e se for daqueles dias em que não há muito para fazer e já estamos fartos...

No bom sentido, de a ouvir, começamos a fazer um scanner mental aos lirics.

Acompanhem-me por favor, vou direitinha ao refrão:

 

"Are we human or are we dancers?
 My sign is vital, my hands are cold
 And I'm on my knees looking for the answer
 Are we human or are we dancers?"Human lirics

agora a respectiva tradução

 

Somos humanos, ou somos dançarinos?

O meu sinal é vital, as minhas mãos estão frias

e eu estou de joelhos à procura da resposta

Somos humanos, ou somos dançarinos?

 

Será caso para ligar a pedir ajuda médica?...Estará a sentir-se mal? de alguma forma estará baralhado... Então afinal... somos humanos ou dançarinos?

Todos sabem que os dançarinos não são humanos, são extra terrestres, que gostam de vir para aqui dançar...e ele está de joelhos à procura da resposta...hum...pois é normal ...todos sabemos, que quando temos alguma dúvida o melhor a fazer é pormo-nos de joelhos e esperar...

Eu nem vos vou traduzir o resto, senão não saímos daqui hoje e voçés tem de ir fazer o jantar certo?

Se virem por aí algum dançarino cuidado...ninguém sabe de onde vieram...

 

Crónicas da Ana

 

perfil do Google+ de Ana Pinheiro.

Voar...voar...

  coisas para rir

   

Eu também quero!

Desde sempre, o homem olhou à sua volta e desejou tudo o que via.
Observou os pássaros no céu e pensou, eu também quero voar. E a partir desse momento nunca mais descansou, enquanto não conseguiu ao longo da história foi tentando, há vários registos de tentativas mal sucedidas de voos.

Homens que tentaram voar, imitando literalmente os pássaros, faziam asas que prendiam ao corpo (asas, que não eram mais que um esqueleto feito de madeira e envolvido em penas), enfiavam aquilo nos braços  e começavam a balançar os braços até se largarem em direcção aos céus (por pouco tempo) la iam eles... para baixo a pique.
De cima, a  assistência observadora comentava:
 

-Aquilo foi das penas, eu avisei-o, que era pouca

 quantidade  de penas.
Olhando para baixo...
-Olha temos pena, não conseguiste.

 

Teimosos, insistiram, as suas técnicas melhoraram até finalmente o homem conseguir voar num planador depois numa aeronave. E agora, a todo o minuto aviões trespassam os céus, em várias direcções e diferentes destinos. Depois do homem  conquistar os ceús,  virou-se para o o universo, já foi á lua, quer ir a Marte.
Nos ficamos aqui em baixo a comentar...;)

 

As Crónicas da Ana 

 

perfil do Google+ de Ana Pinheiro.

Então e a feira popular?

  

 

 

Então e nós?

Nos que andamos tristes e deprimidos.

Onde está o espelho mágico, aquele que nos distorce e engorda e que outrora nos arrancou gargalhadas?

É de grande urgência animar os portugueses, é um direito que temos. Queremos comer algodão doce azul, até as 3h da matina! Queremos andar no comboio fantasma, de olhos fechados, já que tenho medo...

Queremos os  carroceis a que temos direito!

Malta, já repararam, que anda tudo enfiado nos shoppings e não temos nada para nos divertir. Todos temos boas recordações da feira...

A barraca dos tirinhos, o poço da morte as esplanadas cheias de gente, a música as ruas de restaurantes iluminadas, as rifas das panelas, os carrinhos de choque, enfim...Chega de construir shoppings! já temos muitos!

Já temos casino, agora queremos a feira popular!

Volta Santana! 

 

As crónicas da Ana

 

perfil do Google+ de Ana Pinheiro.

Espelho meu....espelho meu...

   

A nossa sociedade impõe critérios  de escolha, estes, se não forem minimamente seguidos,  o individuo é rejeitado. Vivemos numa época que dá extrema importância aos padrões de beleza. A insegurança apodera-se de cada um de nós, numa luta incessante para nos  mantermos nesses padrões.Todos queremos ser bonitos, parecer mais jovens. Alguns levam isso tão a sério que chega a tornar-se obsessivo.

Mudança radical, para bem e para o mal até que a morte os separe:
Algumas pessoas, mais afortunadas financeiramente embarcam numa aventura pelo mundo das cirurgias plásticas, algumas só com bilhete de ida, (descansem em paz).Outras regressam a parecer estrelas de filmes para adultos, outras ainda, gostam tanto que passam a vida a viajar para a marquesa.

O disfarce:
As pessoas que não têm tantas posses, servem-se de outros  artifícios para se sentirem melhor com elas própias, tentam disfarçar a todo o custo o que perderam com a idade. Os homens carecas que usam capachinho...-É pá que náuseas! Tirem isso, assumam-se. Já toda a gente percebeu que são carecas! Isso do capachinho...mais parece que andam com um animal atropelado em cima da cabeça...Depois há os outros carecas, os que não têm capachinho, mas fazem uma coisa enervante, que é puxar o cabelo dum lado para o outro começam o risco na orelha e julgam que tapam a careca, com os seus 3 fios de cabelo, mais parecem o Cebolinha.
Nada mais sensual que raparem o cabelo, ao menos ficam realmente carecas, mas transmitem segurança. E as mulheres? Nós somos mestres na arte do disfarce, se for bem feito ninguém descobre, mas senão for...

Vejamos casos de fracasso...

Quem é que já não privou com uma daquelas senhoras muito queridas de cabelo roxo?  (restaurador olex) 

Quem é que já não teve o prazer de falar com uma? Caminham lentamente cheias de laca, e deixam como rasto, um perfume

inesquecivel.(cof cof cof) Quando falam connosco, fazemos um esforço sobre humano, para não nos concentrarmos no bâton que passou dos lábios para os dentes. 
Se as fixarem, vão ver que rapam as sobrancelhas e no sitio das mesmas desenharam com um lápis um risco disforme.Como querem levantar o olhar fazem o risco na parte  de cima da testa, resultado ficam com um ar que mais parece que estão assustadas ou espantadas.
Cada um de nós, vai evoluindo as suas técnicas camaleónicas. Já que a perfeição não existe.E o quase perfeito é tão boooooring!
A verdadeira beleza, é interior, e quando nos sentimos bem, sorrimos e ficamos mais bonitos (isto caso tenhamos dentes, claro)

 

As crónicas de Ana

 

perfil do Google+ de Ana Pinheiro.
  • Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

  •         Obrigado pela visita

    Um abraço e bons cozinhados!